Sinop terá World Trade Center do Agronegócio

Word Trade Center em Sinop? Sim, é isso mesmo. Um prédio de 25 andares, será a primeira estrutura que vai compor o WTC (World Trade Center) fora de Nova York. A construção de Sinop será a pioneira em Mato Grosso e a primeira do mundo direcionada para o agronegócio. O complexo todo contará com dez torres, mais de 600 mil metros quadrados e um investimento de R$ 1,5 bilhão.

O prefeito Roberto Dorner entregou em mãos o alvará para o início das obras ao empresário Carlos Júlio Haacke, da Haacke Empreendimentos. A construção terá como ponto de partida o SKY 360, prédio comercial que será edificado na rotatória do cruzamento das avenidas Figueiras com Magda Pissinatti, no residencial Florença. “Sinop já tem um ganho muito grande com essa empresa se estabelecendo e construindo em nossa cidade. Com esse prédio, então, vai chamar a atenção do mundo, grandes investidores, as pessoas que trabalham no agronegócio, poderão ter um lugar especial para trabalhar”, destacou Dorner.

Esse é o primeiro prédio do complexo que será construído a partir da parceria da Haacke Empreendimentos com a World Trade Center (WTC) – maior plataforma de negócios e investimentos do mundo. A unidade deve contar 25 andares e foi pensado na sustentabilidade. “O prédio vai ser altamente sustentável em todos os sentidos, desde a parte externa dos vidros e a tecnologia que vai ser usada. O ar-condicionado será no sistema central, usando tecnologia verde”, destacou o presidente da Haacke Empreendimentos, Carlos Júlio Haacke.

O SKY 360 faz parte da primeira fase de implantação do complexo, como explicou Carlos Dalben, representante da Mundial Lançamentos. “Foi feito uma reserva de oito terrenos no local [região do Florença]. O SKY será o prédio comercial e as demais torres serão subsequentes. Vai ter hotelaria, centro de saúde com hospital, centro de educação, nós vamos ter outros centros comerciais e corporativos, bem como também alguns residenciais estão previstos, mas isso dentro de um cronograma de obras ao longo de 10 a 15 anos”, pontuou.

Dalben destacou ainda a importância da marca WTC para o empreendimento. “O WTC é a maior grife de negócios do mundo. Quando se fala em negócios, o WTC aparece em primeiro hoje. O modelo sugere uma centralidade de negócios, tanto pelo empreendimento, pelo local físico, como da WTC Business Club, onde há uma interligação de empresários, de empresas relacionadas ao agro e também outras que vão operar e direcionar suas atividades, operações, eventos no complexo”, acrescentou.

A Câmara de Vereadores também teve papel fundamental para que esse projeto saísse do papel. “Havia a necessidade de alteração da tabela, que tem os parâmetros para a construção de edifícios. Tinha uma limitação e alguns vazios da lei em algumas regiões da cidade. Entendemos como importante essa alteração mesmo antes da conclusão do Plano Diretor para liberar realmente esse tipo de empreendimento. A gente fica feliz de ver hoje a entrega do alvará do primeiro prédio desse complexo de edifícios. São empresas investindo na cidade, trazendo emprego, renda e desenvolvimento”, destacou o presidente da Câmara, vereador Paulinho Abreu.