Dino sobre chacina de Sinop: ‘Resultado trágico da política armamentista’

O ministro da Justiça e Segurança Pública , Flávio Dino (PSB-MA), detonou a política armamentista defendida pelo governo Jair Bolsonaro . O ex-governador do Maranhão afirmou que a chacina de sete pessoas por uma aposta de sinuca em Sinop ( MT ) é mais uma tragédia por conta do incentivo feito pelo ex-presidente.

“Mais sete homicídios brutais. Mais um resultado trágico da irresponsável política armamentista que levou à proliferação de ‘clubes de tiro’, supostamente destinados a ‘pessoas de bem’ (como alega a extrema-direita)”, comentou Dino.

Sete pessoas foram vítimas de uma chacina em um bar de Sinop (MT) na última terça-feira (21). A violência assustou a população da cidade e muitas perguntas começaram a serem feitas sobre o caso. A Polícia Civil já identificou as vítimas e os responsáveis pelos assassinatos.

Segundo as autoridades, o suspeito Edgar combinou de jogar sinuca, com aposta de dinheiro, com a vítima Getúlio. Na manhã de ontem, os dois fizeram as apostas e o possível assassino perdeu R$ 4 mil, retornando para sua casa.

Getúlio seguiu no local co ma esposa e a filha, onde almoçaram e conversaram com amigos. Pouco tempo depois, Edgar voltou, mas com a companhia de Ezequias. A dupla desafiou a vítima para uma nova partida.

Eles jogaram e não houve qualquer confusão, segundo testemunhas. A dupla sofreu nova derrota na sinuca e Edgar não se conformou, tanto que jogou o taco na mesa, fez um sinal para Ezequias e rendeu todas as pessoas que estavam no bar.

Ezequias pegou uma espingarda no carro, voltou para o bar e deu um tiro em Bruno, proprietário do local. Na sequência, o rapaz acertou Getúlio nas costas e depois disparou duas vezes na cabeça da vítima.

Edgar disparou nas outras vítimas. Três pessoas conseguem correr, mas duas também foram baleadas e morreram. A terceira fugiu.

Depois do crime, os homens pegaram o dinheiro que estava na mesa de sinuca, roubaram objetos do bar e fugiram em uma caminhonete estacionada em frente ao estabelecimento. Eles estão foragidos.

Quem são as vítimas?
– Getúlio Rodrigues Frasão Júnior, de 36 anos. Ele era pai de Larissa e marido de Raquel Gomes de Almeida, uma das sobreviventes da chacina;

-Larissa Frasao de Almeida, de 12 anos. Filha de Getúlio e de Raquel Gomes de Almeida;

– Maciel Bruno de Andrade Costa, de 35 anos. Dono do bar;

– Orisberto Pereira Sousa, de 38 anos. Cliente do bar;

– Adriano Balbinote, de 46 anos. Cliente do bar;

– Josué Ramos Tenório, de 48 anos. Cliente do bar.

– Elizeu Santos da Silva, de 47 anos. Ele foi socorrido, mas veio a óbito no hospital.

Quem sobreviveu?
Os criminosos renderam nove pessoas no bar e apenas duas conseguiram sobreviver. Uma delas foi Raquel Gomes de Almeida, esposa de Getúlio e mãe de Larissa. Outro que escapou da morte foi Luiz Carlos Souza Barbosa, sobrinho de Getúlio.

Suspeitos
Edgar Ricardo de Oliveira, de 30 anos, e Ezequias Souza Ribeiro, de 27, foram identificados pela Polícia Civil como os responsáveis pelos assassinatos por causa do depoimento de testemunhas. Os dois suspeitos são moradores da cidade.